Por que o Burro vale menos que a mula?


2 de Janeiro de 2015 às 23:49
Um preconceito que permanece até os dias de hoje.

O preconceito realmente surgiu no passado por questão do ato do animal urinar, os tropeiros antigos preferiam as mulas para carregar as cargas porque elas não precisam "curvar" o dorso para urinar. Como os BURROS precisar curvar o dorso, e o peso das cargas dificultava esse movimento, pois dependendo do tipo de cargueiro, os machos eram INCAPAZES de urinar, ficando irritados e inquietos com frequência, havia a necessidade de retirar a carga para que os animais urinassem, e isso atrasava a viagem. Com isso, as mulas eram mais valorizadas, por questões anatômicas óbvias, conseguia urinar com facilidade e o preconceito surgiu desde aquela época.

Outro motivo que muitos alegam e que o burros fica com a cabeça e frente mais pesadas que as mulas, sabemos que os hormônios responsáveis pelas características secundárias dos machos, como cabeça e frente mais pesadas, só operam seus efeitos a partir de cerca de 18 meses (puberdade), época muito melhor para realizar a castração, pois os tais "hormônios" aqui citados como maléficos, que na verdade se trata unicamente da testosterona, terão realizado grande parte de se papel no processo de CRESCIMENTO EM ALTURA dos animais, evitando aqueles burrinhos pequenos e sem estrutura, ou seja, a prática da castração mais tardia, além de colaborar com a diminuição nos riscos de uma CIRURGIA em uma animal tão jovem e com o sistema imune completamente susceptível a infecções e outras complicações, também irá contribuir com a diminuição do preconceito em relação aos BURROS.

Criatório Rancho & Cabana Mga  Brama, Plutão


Em relação à docilidade, creio que o macho do muar, quando castrado, só oferece vantagem em relação às fêmeas, desde que sejam bem manejados, é claro, já que estes não apresentam variacões hormonais como as mulas, que quando ciclam, podem apresentar, como os amigos sabem, grande variação no padrão de comportamento, e isso ocorre em função dos picos de Estrógeno durante o ciclo estral.

O editor.